Início Engenharia Descubra como engenheiros alavancam a carreira trabalhando para a justiça

Descubra como engenheiros alavancam a carreira trabalhando para a justiça

158
0

O Relatório “Justiça em Números 2018” revelou que, somente no ano passado, existiam pelo menos 80 milhões de processos tramitando no Judiciário brasileiro no ano anterior. Fato que justifica a vasta demanda de trabalho para peritos judiciais, além dos assistentes técnicos judiciais.

De acordo com números do próprio poder judiciário, aumenta anualmente a quantidade de processos apresentados para julgamento junto aos tribunais brasileiros, e, em sua grande maioria, o juiz depende de um auxiliar para atuar com seu conhecimento técnico ou científico, a fim de oferecer orientação para proferir sua sentença final. Esses auxiliares são chamados de peritos judiciais.

Qual o papel de um perito judicial?

Os Juízes possuem um conhecimento aprofundado no campo de Direito e da Justiça, mas -em muitos casos- necessita de auxílio para julgamento de processo, haja vista que estes casos dependem de conhecimento específico sobre determinada área. Sendo assim, ele solicitará um profissional cadastrado junto ao Tribunal, que possua formação condizente com a situação apresentada no processo, para apresentar um parecer técnico.

Como se tornar um perito judicial?

Antes de mais nada, é preciso ter formação acadêmica específica na área da perícia. Além disso, a maioria dos tribunais também exige também um Curso de Formação de Peritos Judiciais, que, sem dúvida, será imprescindível a uma atuação com excelência na área pericial. Importante ressaltar que não é necessário concurso, como muitos profissionais pensam.

Onde entra o Engenheiro?

Em determinado processo, como o juiz poderia, por exemplo, analisar o culpado pelos danos à estrutura de um prédio se ele não é engenheiro civil?

Ou então em um desmoronamento de um edifício por falha estrutural patologias, anomalias ou qualquer desempenho insatisfatório da edificação decorrente de má-execução, erro de projeto ou problema com material?

E não é somente o Engenheiro Civil que pode atuar na perícia.

O Engenheiro Ambiental pode atuar em processos judiciais que envolva, entre outras situações diversas, danos e alterações nos recursos naturais como: o solo, ar ou água. Com apuração de danos ao meio ambiente, impactos ambientais, entre outros;

Engenheiros Agrônomos atuam em processos que envolvam discussões sobre desapropriações de fazendas, discussão sobre cálculos de resultado de venda feita com base no volume de madeira, de apuração de danos ao meio ambiente, de avaliação de imóveis rurais, avaliação de culturas, de danos a culturas, de demarcação de terras, de desapropriação de terras, entre tantas outras;

Engenheiros Eletricista auxiliam em processos que ocorrem discussões sobre condições e/ou situações problemáticas, seja de forma preventiva ou para a solução de falhas, ensaios no medidor de energia elétrica confrontados com a Portaria do INMETRO pertinente ao referido medidor, certificado de aferição dos padrões utilizados, dentre outros;

O Engenheiro Mecânico corrobora em processos que envolva discussão de valor de maquinários industriais, seus vícios e prejuízos causados ao consumidor final. Os tipos de perícias mais comuns na área são casos de avaliações de máquinas, motores, veículos, geradores de energia e outros equipamentos relacionados;

O tipo de perícia mais comum para o Engenheiro do Trabalho são as que envolvam insalubridade e periculosidade, área muito requisitada atualmente.

Engenheiros Químicos encontram um interessante campo de trabalho na área judicial. Muitas ações envolvem produtos ou empresas do setor químico, desde o caso de uma consumidora que pleiteia de um fabricante de xampus uma indenização por danos causados aos seus cabelos, até os complexos casos de cunho ambiental. Há também ações trabalhistas, como a de um laboratorista interessado em receber adicional de periculosidade;

E ainda o Engenheiro Florestal, que atua em processos avaliando terras nuas, florestas naturais, etc.

Por fim, muitos Engenheiros estão se profissionalizando na Perícia Judicial para alavancar a carreira. E o texto acima, detalhadamente, prova que a demanda é ótima para todas as Engenharias. 


E o Gazeta conseguiu, junto da Dra. Rosaura Blandy, uma das maiores especialistas em Perícia Judicial do Brasil, um desconto exclusivo aos leitores. O desconto é referente ao Curso de Perícia Judicial, ministrado justamente pela Doutora na plataforma do Curso Beta.

VOCÊ PODE SE TORNAR PERITO POR UM VALOR ESPECIAL CLICANDO AQUI

Confira alguns depoimentos sobre o Curso: 
Avides Zanoli Cassiano no Facebook:
“Percebi na função de perito judicial para área da veterinária, uma boa alternativa a renda extra, diante de tão pouca valorização da profissão. Ao pesquisar sobre isso, achei o Curso Beta, que proporciona todo conteúdo necessário para exercer essa função com propriedade, totalmente online e com flexibilidade de horário, o que evidencia a comodidade para o aluno. Além disso, emitem certificado reconhecido legalmente perante as autoridades judiciais, o que respalda a qualidade e o compromisso da instituição com a seriedade. Valor mais que justo, diante do retorno volumoso que pode nos trazer. Recomendadíssimo!!!”

Grace Kelly Nery no Facebook:
“Excelente estrutura on-line e professor altamente conhecedor do conteúdo. Material didático de alto nível. Só não aprende quem não quer. Super recomendo!!!”

APROVEITE A CONDIÇÃO DO CURSO BETA EM PARCERIA COM O GAZETA E SE TORNE PERITO ENGENHEIRO

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui